Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais

hepatite viralO impacto causado pelas Hepatites Virais na população e sistemas de saúde pelo mundo é gigantesco. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que cerca de 3% da população mundial pode estar infectada com o vírus da hepatite C. Estima-se que cerca de 170 milhões de pessoas estejam cronicamente infectadas, e destas, cerca de 350 mil morrem, por ano, no mundo. No Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH), 1,5 milhão de pessoas convivem com a hepatite C, a forma mais grave da doença.
O próximo dia 28 de julho é marcado pelo Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, que tem por objetivo atrair a atenção da população, incentivando o diálogo e alertando sobre a importância dos exames para identificação das doenças.
“As hepatites virais consistem na inflamação do fígado e são causadas, principalmente, por cinco tipos de vírus (A, B, C, D e E)”, explica Dr. Tércio Genzini, hepatologista da Beneficência de São Paulo. “Algumas delas podem agir silenciosamente por décadas sem a manifestação de sintomas e, quando o diagnóstico é feito tardiamente, o paciente pode apresentar um quadro avançado de cirrose ou câncer no fígado”, completa.
As hepatites virais B e C são as mais comuns dentre todas, que vão até a letra G (exceto F). Elas são um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, sendo uma das principais causas de transplante hepático. Os vírus B e C podem causar inflamação crônica do fígado, normalmente sem sintomas, evoluindo para cirrose hepática e câncer no órgão.
Quais são os sintomas?
Os sintomas surgem de 15 a 45 dias após contato com o vírus e, geralmente, causam pele e olhos amarelados, além de urina escura e fez claras.
Normalmente, os primeiros sintomas da hepatite são:

  • Perda de apetite;
  • Enjoo, vômito;
  • Cansaço, mal-estar;
  • Dor nos músculos e articulações;
  • Dor de cabeça e fotofobia;
  • Tosse e faringite.

Como prevenir o contato com o vírus?

  • Usar preservativo em todas as relações sexuais;
  • Exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de piercings e tatuagem;
  • Não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure;
  • Não usar lâminas de barbear de outras pessoas;
  • Não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas.

Além dos exames preventivos, é essencial que as vacinas estejam em dia, pois elas são aliadas na prevenção contra as hepatites A e B”, afirma Dr. Tércio. “A carteira de vacinação deve ser reforçada a cada cinco ou dez anos, dependendo do título de anticorpos do paciente”, reforça o especialista.
Qual é o tratamento?
Ir ao médico regularmente e realizar exames de rotina pelo menos, a cada seis meses, é o ideal para identificar e tratar a hepatite adequadamente e impedir a progressão da doença.
Atualmente, as hepatites têm tratamento e cura mais de 90% das pessoas infectadas, com medicamentos de alta eficiência e poucos efeitos colaterais ou, se necessário, com transplante de fígado.



WordPress Video Lightbox

    ENTRE EM CONTATO.
    FALE CONOSCO OU ENVIE SUA MENSAGEM AGORA MESMO.
    AQUI, NO SITE BELEZA TODAY, ESTAMOS SEMPRE PRONTOS A ATENDER A SUA SOLICITAÇÃO!


    comercial@belezatoday.com.br | tel.: (+55 21) 2284-4336