Gravidade reduz resistência da pele e causa rugas

tratamento acneA força gravitacional agora está entre as preocupações das marcas dermocosméticas. Os fatores ambientais como raios ultravioleta, calor, poluição e maus hábitos como o cigarro permanecem como os grandes vilões da pele, no entanto recentes pesquisas internacionais da Dior Science colocam a gravidade como uma preocupação. “Essa força diminui a resistência de nossa pele”, explica a Dra. Claudia Marçal, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. “Principalmente quando não há hidratação com uso de ativos que promovam estímulo ao colágeno, à energia mitocondrial, à renovação celular e que controlem o encurtamento dos telômeros, a força gravitacional colabora para o envelhecimento precoce com consequente aparecimento de rugas e perda da volumetria facial. A falta dessa hidratação demonstra uma pele envelhecida, que é acentuada com certeza pela força da gravidade”, acrescenta. Em termos práticos: a força gravitacional pode acentuar o aparecimento de linhas finas, flacidez e rugas. Mas não há necessidade de viajar para ambientes “gravity-free” para manter a pele jovem. Isso porque novos tratamentos focam na firmeza e na reposição do volume perdido — e a boa notícia é que eles são preventivos e reparadores!

Para evitar que a gravidade acelere o envelhecimento precoce, a Dra. Claudia Marçal explica que primeiramente é recomendável buscar a orientação de um dermatologista, que poderá orientar sobre o uso de tecnologias e cosméticos cujas formulações apresentem bio e nanotecnologia. “Ou seja, por meio da vetorização dos ingredientes, é possível fazer com que esses princípios ativos atinjam realmente o local desejado. Antigamente as formulações dificilmente passavam da epiderme e do estrato córneo. Hoje, já temos ciência — e caracteristicamente por fruto de pesquisa, estudo e microscopia eletrônica — que aqueles ativos que devem agir, por exemplo, na junção dermoepidérmica (produzindo colágeno 7, que tem função de ancoragem e sustentação mantendo a firmeza) são eficientes, já que há estímulo na área tratada”, analisa.

De olhos nas fórmulas — A dermatologista afirma que as fórmulas antigravidade agem na rearquitetura facial, com ativos como Sculptessence, de alta aderência ao relevo cutâneo, que promove efeito tensor e lifting para tratamento de rugas dinâmicas e estáticas. “O ingrediente possui ação remodeladora do contorno facial. Além disso, forma um filme protetor contra a degradação do colágeno, combate a flacidez cutânea e remodela o oval do rosto”. A dermatologista Dra. Claudia afirma também que é interessante o uso de séruns que trazem vitalidade ao melhorar a microcirculação local e proporcionam ação antioxidante e antiglicante. “A questão da hidratação é um ponto importante, principalmente no quesito preventivo. Gosto muito dos manipulados com Sirhamnose, com ação antiage efetiva na junção dermoepidérmica, com estímulo da síntese de colágeno 4 e 7 e proteínas âncoras da junção”.

Especificamente na questão da gravidade, a médica recomenda substâncias de retenção de água, antirradicais livres, e que retirem do meio intra e extracelular os resíduos que atrapalham no bom funcionamento das estruturas. “Sendo assim, renovadores celulares como Lanablue, ricos em Vitamina B e aminoácidos, fazem com que as células cheguem mais oxigenadas à superfície”, diz. “É necessária a associação com ativos como Progenitrix, que age nas células progenitoras incentivando a renovação e proliferação celular, principalmente na junção dermoepidérmica, o que garante uma pele menos flácida. Além disso, é um excelente hidratante”, acrescenta.

Outro ponto fundamental é a questão da energia mitocondrial com ativos como Arct Alg, que triplica a produção de ATP (energia). “Isso é fundamental para enfrentar a ação da gravidade e conferir resistência à pele, principalmente de maneira preventiva. Quando pensamos em uma pele envelhecida, devemos atuar de forma protetora, com uso do Tetraisopalmitato de Ascorbila, a Vitamina C estabilizada em ésteres, que confere ação imunoprotetora contra a degradação do colágeno, ao mesmo tempo em que vai estimular a síntese de colágeno”, recomenda. “E ativos como Procollasyl, que atua diretamente sobre os fibroblastos e intensificam o ciclo de reparação celular”.

Se a pele fotoenvelhecida apresentar rugas profundas, além do uso de tecnologias como radiofrequência microagulhada, o dermatologista pode associar alfa-hidroxiácidos e retinóides em sinergia com antioxidantes e antiglicantes como Alistin. “Para recuperação de volume, o uso de volumizadores como Adipofill, que estimula a lipogênese e aumento das triglicérides no interior do adipócito, é fundamental. Esse ativo está muito em alta em formulações no exterior porque estimula a manutenção e recuperação das ilhas de gordura que sustentam a nossa pele”, garante.

O mercado dermocosmético brasileiro já apresenta esse ingrediente nos produtos da Under Skin (SAC 0800-7289700): U.SK Miracle Awake Serum (R$ 352,00) e U.SK Desire Sculpt Serum (R$387,00), que também contam com ingredientes que mantêm o gradiente de cálcio na camada superior da epiderme para manter o tônus e a resistência, detoxificantes celulares, limitadores do encurtamento dos telômeros e agentes tensores.

Outro ingrediente que deve fazer parte dos cosméticos de tratamento são os Fatores de Crescimento, segundo a dermatologista. “Fator de Crescimento é responsável não só pelo reparo, regeneração, mas também pela proliferação e comunicação celular. Isso faz com que eu consiga ter uma pele mais preenchida”, explica.

O ácido hialurônico, grande destaque nas formulações anti-idade, permanece nas fórmulas, mas com uma novidade: a combinação de pesos moleculares diferentes. “Em uma grande quantidade e em pesos moleculares diferentes do ácido hialurônico, nós conseguimos fazer com que a matriz extracelular, onde ficam as fibras de colágeno e elastina, seja mais estimulada, mais preservada e muitas vezes recuperada, principalmente com o uso do ácido hialurônico fragmentado, vetorizado”, explica.

Vitaminas orais — A indicação desses cosméticos é preventiva, a partir dos 30 anos, e também de tratamento para peles que já apresentam sinais de envelhecimento, de acordo com a dermatologista. “Dependendo do caso, deve sim ser associado a procedimentos dermatológicos e vitaminas orais como Exsynutriment que atua na firmeza e sustentação da pele, e Bio-Arct, que vai triplicar a energia mitocondrial de dentro para fora. Quanto mais precocemente se iniciar a proteção da pele, hidratação e nutrição com ativos antioxidantes e antiglicantes, mais tarde as rugas, linhas e flacidez aparecerão, mesmo com a força gravitacional”, explica.

Procedimentos — A dermatologista ressalta a importância de consultar um médico especialista. “Os tratamentos com cosméticos antigravidade podem e devem ser associados a lasers e radiofrequência”, explica. Uma das novidades é o ThermiRF, uma radiofrequência aplicada internamente e externamente, quebrando paradigmas da técnica convencional, oferecendo multibenefícios, principalmente nas principais alterações (flacidez, linhas e rugas) potencializadas pela gravidade.

Fonte: Dra. Claudia Marçal
Dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School.



WordPress Video Lightbox
ENTRE EM CONTATO.
FALE CONOSCO OU ENVIE SUA MENSAGEM AGORA MESMO.
AQUI, NO SITE BELEZA TODAY, ESTAMOS SEMPRE PRONTOS A ATENDER A SUA SOLICITAÇÃO!


comercial@belezatoday.com.br | tel.: (+55 21) 2284-4336