Açúcar: um grande inimigo da beleza da pele

açúcar envelhece a peleEm geral, quando o organismo ingere uma grande quantidade de açúcar ocorre o contato com proteínas, principalmente o colágeno, e isso compromete a elasticidade da pele. Nesse processo todo, existe a glicação, que na prática é a soma entre proteínas e carboidratos, mas de forma inadequada. Dessa maneira, além de não haver a interferência de enzima nos processos, as células não atuam como deveriam na região.

Para a dermatologista Claudia Marçal, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, o açúcar contribui para o envelhecimento por causa dessa interferência nas proteínas. “De modo geral, essas proteínas cruzadas modificam a estrutura da pele, o que favorece a perda de elasticidade, luminosidade e capacidade de regeneração. O mesmo ocorre na estrutura capilar e das unhas, uma vez que a base destes dois itens é a derme [tecido conjuntivo]”, destaca.

Para entender melhor as desvantagens do excesso de açúcar no organismo, a dermatologista cita o que ocorre na pele de quem possui diabetes. “Como a pessoa tem excesso de açúcar no organismo, então, a pele se apresenta sem viço, sem elasticidade, amarelada e ainda existe a dificuldade de cicatrização”.

Açúcar e acne
O excesso de açúcar no corpo também contribui para piorar a acne na pele. Isso acontece porque neste cenário existe uma inflamação e, com a presença do açúcar, aparecem novas moléculas. Muitas vezes, elas não são reconhecidas pelo organismo e surgem inflamações subclínicas, as quais não são visíveis.

Alimentos que se transformam em açúcar
Para a médica, é preciso ter cuidado não apenas com o consumo de açúcar em sua forma mais simples. “É importante se atentar para os carboidratos, farináceos brancos, que também se transformam em açúcar no final. Então, consumimos açúcar indiretamente o tempo todo para gerar energia. Este processo se acumulará no organismo e inicia-se a glicação”.

Como combater a glicação
Graças aos estudos e avanços tecnológicos na área, existem no mercado produtos que agem como antiglicante e deglicante (revertendo o processo de glicação). “O nutracêutico Glycoxil é um peptídeo biomimético da carcinina que atua como antioxidante, antiglicante e desglicante, possui a capacidade de bloquear o açúcar excedente, impedindo que se liguem as proteínas ao colágeno. Ele também desliga o açúcar que se ligou ao colágeno revertendo o processo. Dessa forma, devolvemos as proteínas as suas características iniciais e funcionais. E também por proteger da ação dos raios UVB, protege o DNA celular dos danos oxidativos. A associação com silício orgânico biodisponível Exsynutriment age melhorando o aspecto da pele, dando mais firmeza”, explica a dermatologista.

Para potencializar, o uso tópico é fundamental: “Alistin é a opção tópica do Glycoxil, também impedindo essa reação de glicação”, explica. De qualquer forma, a dermatologista pontua que antes de adquirir esses produtos, é importante ter prescrição médica. Os itens podem ser encontrados em farmácias de manipulação.

Fonte: Dra. Claudia Marçal
Dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School.



WordPress Video Lightbox

    ENTRE EM CONTATO.
    FALE CONOSCO OU ENVIE SUA MENSAGEM AGORA MESMO.
    AQUI, NO SITE BELEZA TODAY, ESTAMOS SEMPRE PRONTOS A ATENDER A SUA SOLICITAÇÃO!


    comercial@belezatoday.com.br | tel.: (+55 21) 2284-4336